nerus
Área do cliente

O Banco Central desenvolveu uma nova forma de realizar transferências e pagamentos instantâneos e que funciona 24 horas por dia. Esse novo método leva o nome de PIX. Todavia, muito se discute sobre o que é PIX e quais são as suas principais vantagens.

Pensando nisso, neste post, selecionamos tudo o que você precisa saber sobre esse novo método de pagamento, já que nada melhor do que conhecer o conceito por trás da sua criação, assim como as suas principais características. Vamos lá?

O que significa PIX?

O nome escolhido pelo Banco Central, ao contrário do que muitos imaginam, não se trata de uma sigla. Na verdade, PIX foi inspirado em um termo que remete a conceitos como tecnologia, transação e PIXel.

Indo um pouco mais a fundo, um pixel é o menor elemento em um dispositivo de exibição. Desse modo, a referência por trás da criação tem como base o propósito de ser simples e funcional.

O que é o PIX?

O PIX é um novo meio de pagamento instantâneo, ou seja, mais uma opção ao lado de TED, DOC e cartões. Ele servirá para pessoas e empresas realizarem transferências de valores, efetuando e recebendo pagamentos. Inclusive, com o PIX, todos poderão concluir essas transações em menos de 10 segundos, exigindo apenas um celular.

Como funciona o PIX?

A função aparecerá nos aplicativos de celular dos clientes de bancos, instituições financeiras e outras empresas de pagamento. A sua adesão é obrigatória para instituições financeiras com mais de 500 mil contas ativas. Na prática, todos os principais bancos e fintechs estão envolvidos.

Para fechar uma transação — pagamento ou envio de dinheiro — basta escolher o PIX no aplicativo como forma de realizar a operação. Nesse momento, será exigida uma chave de cadastro.

Essa chave PIX representa o endereço da sua conta no PIX. Para criar a sua, é necessário optar por uma dessas formas de identificação:

A chave aleatória é uma forma de receber um PIX sem exigir dados pessoais. Ela funcionará como um login. Em outras palavras, um conjunto de números, letras e símbolos gerados aleatoriamente para identificar a conta do destino de recursos.

Empresas também poderão disponibilizar o PIX como forma de pagamento aos seus clientes, por meio de um QR Code. Assim, quando for concluir um negócio, basta optar pelo PIX no seu aplicativo e capturar a imagem desse código.

O PIX é seguro?

Com o PIX, você consegue fazer suas transações de forma 100% digital, assim como o TED ou DOC. Isso significa que o Sistema Financeiro Nacional já tem protocolos que asseguram que elas sejam feitas com total segurança. Além disso, o sistema bancário brasileiro é um dos mais seguros do mundo.

Não somente, para disponibilizar o PIX, os bancos ainda chegam a adotar outras camadas de segurança. A exemplo disso, há a assinatura e os certificados, todos digitais, bem como a criptografia e autenticação em duas etapas.

Quais as vantagens do PIX?

Por se tratar de um pagamento instantâneo, os negócios podem ser efetuados rapidamente e com segurança. Além disso, podem ser feitos 24 horas por dia, todos os dias do ano. Isso, por sua vez, viabiliza uma forma de pagamento por transferência que não seja limitada por horário e dias úteis.

Vale destacar, ainda, a vantagem do custo de transação. Segundo o Banco Central, o custo para as instituições financeiras é de R$0,01 a cada dez transações. Por isso, as instituições podem definir como cobrar os seus clientes, porém, a princípio, o uso do PIX por pessoas físicas será gratuito.

📖 Veja, ainda: como o PIX vai melhorar as vendas na Black Friday.

Agora que você sabe o que é o PIX e quais as suas vantagens, experimente-o. O PIX pode lhe ser útil tanto para seu uso pessoal quanto para o seu negócio, então aproveite as novas possibilidades. Afinal, como vimos nesse conteúdo, o método de pagamento é realmente seguro

Analisando o desempenho de Amazon, Mercado Livre, B2W, Magazine Luiza e outros marketplaces nos últimos 6 meses, seria até possível concluir que não existe espaço para uma empresa optar por um site próprio. Mas na nossa visão trata-se de estratégias complementares e não de uma escolha.

Simplificando

Para simplificar a comparação entre sites próprios e marketplaces, vamos usar uma analogia com lojas físicas:

Sites próprios são o equivalentes a lojas de rua e Marketplaces são equivalentes a lojas em shopping centers.  Cada com suas vantagens e desvantagens ao fechar uma venda.

Sites  de e-commerce próprio assim como lojas de rua exigem cuidados adicionais. Numa loja de rua a propaganda, a segurança, a infra-estrutura, tudo é garantido pelo próprio lojista. Em um e-commerce próprio isso é parecido. Você precisa escolher a plataforma, fazer a propaganda, fazer a segurança, o meio de pagamento, etc. Em compensação, quando tem sucesso não pagará a taxa de venda dos marketplaces.

O outro lado da moeda

Por outro lado, quando o lojista decide colocar uma loja no shopping center vários serviços são oferecidos pelo shopping (fluxo de clientes, segurança, limpeza, estacionamento, propaganda, etc).

Da mesma forma, quanto opta-se por uma loja em um marketplace digital, o lojista receberá uma série de serviços como fluxo de clientes, segurança, marketing digital, plataforma de vendas online, etc. Em compensação terá de pagar uma taxa significativa pela venda. Cabe uma constatação importante aqui: site próprio gera mais custo fixo e marketplace é quase tudo custo variável (leia o artigo para entender mais)

Ok e por qual devo optar?

Resposta clássica: depende! Entende-se que é possível conviver com as duas estratégias, assim como várias empresas que possuem tanto lojas em shopping quanto lojas de rua. O marketplace oferece uma série de benefícios, entre os mais importantes estão: marketing, logística e tecnologia.

Com isso conseguem atrair muito fluxo de leads para as plataformas o que é caro e principalmente complexo na internet. Logo, podem trazer muitas vendas. Por outro lado, o site próprio, se tiver um bom volume de vendas, poderá preservar sua marca e principalmente trazer uma margem melhor se conseguir manter um volume relevante de vendas na internet.

Logo, entendemos que pode-se se usar as duas estratégias em conjunto. Tudo vai depender da sua estratégia geral, do seu mix de produtos e do seu cliente alvo. Em especial, acreditamos inclusive que é possível adicionar lojas físicas nessa composição de canal, o famoso omnichannel.

Veja a figura abaixo:

Com um algum esforço e boa orientação, a empresa pode usar o marketplace para aumentar o fluxo do seu site próprio e também pode direcionar a logística para suas lojas físicas (retire na loja, reserve da loja, etc).

Essa combinação pode reduzir seus custos de marketing e logística, atraindo novos consumidores e fidelizando os atuais. Para isso dar certo, recomendamos optar por plataformas digitais de primeira linha como B2W (Americanas, Submarino, Shoptime), Mercado Livre, Magazine Luiza, VTEX e JET. Feito isso, sugerimos em seguida que faça uma boa integração com seu ERP.

Essa integração irá garantir processos automatizáveis e seguros. Lógico que um bom ERP com suporte aos processos de e-commerce é essencial. Aí, é contar com a habilidade do lojista para escolher o mix correto de produtos e fornecedores, caprichando na execução da estratégia digital.

Veja neste artigo com adaptar seu ERP para vender no on-line.

Bom, por enquanto é isso. São muitas opções que pode ser usadas em conjunto ou isoladamente aumentando suas opções de vendas.

Se precisar de ajuda nisso, procure a Nérus. Somos especialistas na integração e em backoffice para e-commerce e marketplace. Possuímos tecnologias e serviços para ajudá-lo a se integrar com os principais ERPs do Brasil como Protheus, Senior, SAP e Sankhya.

Fale com nossos especialistas.

Fale Conosco

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

[inserir formulário de contato]

07 dicas para começar um e-commerce

Muitas pessoas optam por criar uma loja virtual porque acreditam ser mais simples do que manter um ponto físico, porém a verdade é outra. Ter um e-commerce é tão complexo quanto uma loja na rua. O que muitas pessoas não sabem ´que ir pra uma plataforma digital traz muitos desafios, mas também traz certa flexibilidade em relação ao local e à rotina de quem ficará a frente do negócio. Nesse texto, vamos citar 07 dicas que podem te ajudar a entrar no e-commerce. Confira sete dicas para começar seu e-commerce com o pé direito.

 

Confira estas 07 dicas para começar seu e-commerce com o pé direito.

1. Faça um planejamento escrito 
Coloque na ponta do lápis todas as questões que envolvem um negócio. “Dependendo do tipo de comércio, não há necessidade de uma estrutura física e isso e diminui os custos, mas é preciso planejar tudo da mesma forma”, afirma Campos. O documento deve conter informações sobre logística, estoque, mercado potencial, tipos de produto que irão à venda, área de atuação e valores de investimento.

 

2. Busque informações sobre as tecnologias 
É importante conhecer as plataformas e tecnologias disponíveis para a atuação no meio digital e verificar qual serve melhor o seu modelo de negócio. O empreendedor pode optar por uma plataforma proprietária ou alugar uma pré-existente, mas deve conhecer como funcionam as funções de cada uma delas antes de investir.

 

3. Verifique se a sua plataforma é capaz de integrar
É crucial escolher uma plataforma com uma tecnologia que seja capaz de integrar outros sistemas, como o de gestão do estoque e de emissões de notas fiscais. Caso não haja um serviço adequado para a sua ideia, avalie contratar uma empresa especializada. “Alguns templates prontos têm esse problema e o empreendedor não consegue integração alguma ”, afirma Campos.

 

4. Defina padrões de navegação e layout
O empreendedor precisa definir bem os pontos de comunicação visual do site: quais páginas terá, como será a arquitetura de navegação, o estilo do layout, o padrão visual e de cores e a tipografia e como serão colocadas as fotos. Segundo Campos, as opções de design são inúmeras, no caso de uma loja online. “O dono tem muita abertura para usar a criatividade de maneira mais massificada. Alguns optam até pela produção de vídeos, dá pra variar bastante.”

 

5. Trace um plano para começar a produzir conteúdo
Com a estrutura definida, é hora de começar a alimentá-la. Além das fotos, descrições e valores dos produtos, o empreendedor deve investir na produção de conteúdo para o site. Vale a pena apostar em fotos, banners e divulgação em redes sociais para atrair os consumidores.

 

6. Organize bem operação e logística
Para a loja funcionar é preciso saber como será a operação do negócio no dia a dia. Considere questões como o atendimento a distância, que poderá ser feito pelo telefone, e-mail ou até mesmo por Whatsapp. Não se deve esquecer das questões relacionadas ao transporte, frete e embalagem. O dono do e-commerce precisa estabelecer se haverá promoções com frete grátis, por exemplo. Ou se haverá parceria com os Correios e se os pacotes terão algum tipo de padrão. Todas essas questões precisam ser levantadas.

 

7. Faça o marketing digital
Um bom marketing digital e a divulgação do seu site ajudam a trazer retorno. Delimite como será a divulgação e quais canais de comunicação serão usados. “Com a crise, os consumidores estão com pé no freio. Eles vão pesquisar muito para ter a melhor oferta e a internet nos possibilita a pesquisa e a comparação muito rapidamente. É bom manter o marketing online bem ajustado”, diz Campos.

 

Leia também: Marketplace ou E-Commerce? Por onde eu começo?

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Rede Livraria Leitura utiliza ERP para varejo da Nérus que, em parceria com a NDD, é case de sucesso

ERP para varejo: livraria é case de sucesso com Nérus e NDD

Com 72 lojas físicas no Brasil, a rede Livraria Leitura vem entrando novamente no comércio online. Para isso, prepara-se investindo em um ERP para varejo focado às suas necessidades. Na busca, encontrou a Nérus, especializada na área, com um ERP que integra o controle das operações online e offline, unindo, assim, a gestão operacional e financeira das duas frentes de vendas. A parceria da Nérus com a NDD na emissão e na gestão dos documentos assegura a qualidade dos processos fiscais.

 

Melhorias trazidas pelo ERP voltado para o varejo

Além dos pontos positivos, outra melhoria comprovada, assim, com a utilização do ERP para varejo foi a consignação, que é o processo pelo qual as editoras cobram apenas pelos exemplares vendidos. A aquisição garantiu, também, uma pré-venda mais ágil, na qual o vendedor antecipa parte do trabalho de caixa, por exemplo.

 

Vantagens comprovadas

A época entre o Natal e o retorno às aulas, pico de atividade do setor, serviu como grande teste para a Livraria Leitura. Neste período, cerca de 35 lojas já haviam adotado o novo sistema. O resultado, então, foi uma média de mais de 20 mil notas múltiplas por dia. O volume é, enfim, considerado bastante alto, tanto para a rede quanto para o setor.

 

Hoje, mais de 60% das 72 lojas da rede já adotaram o ERP para varejo da Nérus. As demais deverão ser integradas até o final do ano, com o fim de consolidar ainda mais o negócio. Com 52 anos de mercado, a Leitura cresceu 9% em 2018, vendendo seis milhões de livros. Eles representam 55% do faturamento da empresa. Este ano, seu objetivo é chegar a 75 lojas.

 

Soluções da NDD asseguram documentos eletrônicos no ERP

Hoje, a emissão de todos os documentos eletrônicos da Livraria Leitura é feita por meio das soluções de NF-e e NFC-e da NDD, integradas com o ERP de varejo da Nérus. A estabilidade e a eficiência da solução, além da sua facilidade de integração garantem o controle total do negócio.

 

Além disso, a Leitura também utiliza a universidade corporativa Kubo LMS, da NDD para realizar os treinamentos das lojas. Como resultado, o processo de utilização do Kubo diminui significativamente as dificuldades que podem resultar num chamado ao suporte. Todo o processo é feito pela própria equipe da Leitura, utilizando a solução.

 

Leia também:

Livraria Leitura investe em tecnologia para crescer

Como o Nérus ajudou a otimizar a operação das Lojas Móbile

Nérus e NDD: como a parceria das empresas vem revolucionando o varejo nacional

A Nérus surgiu em 1990 com o desafio de criar um PDV (Ponto de Venda) online para uma rede de lojas do interior. Com o passar dos anos, evoluiu do ponto de venda para a retaguarda. Sua tecnologia também cresceu, consequentemente, mas sempre mantendo as regras de negócio da empresa inalteradas. 

“Queremos oferecer aos nossos clientes o controle unificado do varejo”

A Nérus e NDD revolucionam o cenário no Brasil. A missão da Nérus é garantir que o responsável de um negócio – empreendedor ou diretor – “tenha controle total sobre o varejo, especialmente nas áreas de móveis, eletro, materiais de construção, autopeças ou magazine“, destaca Cleber Piçarro, CEO da empresa. “Sendo assim, queremos oferecer aos nossos clientes o controle unificado do varejo, para que possam vender online e offline da forma mais integrada possível”. Hoje a Nérus atende 150 grupos econômicos que possuem mais de 1.800 lojas e 6.000 usuários online, com presença em todo o país e em mais de 250 cidades diferentes.

 

Os diferenciais Nérus

Além da aderência e da enorme gama de recursos, uma das grandes vantagens que o ERP da Nérus carrega é o baixo custo total (TCO), já que as soluções da empresa são baseadas em Linux, MySQL e aplicações abertas. Desta forma, os clientes contam com o que existe de mais moderno sem pagar licenças adicionais. O custo total chega a menos de 50% frente a outros concorrentes. Varejo: Nérus e NDD revolucionam o cenário no Brasil.

Todas as soluções são prontas para rodar em nuvem. A parceira oficial com a AWS (Amazon Web Services), maior provedor de nuvem do mundo, garante, além disso, centenas de servidores rodando com custo reduzido e confiabilidade inquestionável.

 

NDD: referência em documentação fiscal eletrônica

15 anos foram suficientes para que a empresa NDD se tornasse referência em soluções para documentação fiscal eletrônica. Além do segmento, possui uma vasta experiência com a gestão e controle de ambientes de impressão. Ela possui presença em mais de 20 países e ampla atuação em mercados como a América Latina. A expertise em documentos eletrônicos se comprova, assim, com importantes parcerias, como a da Nérus. “Esta é uma parceria que se fortalece cada dia mais. Na visão dos clientes, somos uma única empresa, frente ao mercado para ajudar no seu crescimento”, destaca o coordenador comercial da NDD, Alovisio Deucher. Neste sentido, ele salienta a importância da união para o desenvolvimento da NDD. “A parceria faz com que tenhamos a confiança do cliente, com o melhor ERP e a melhor solução de mensageria do Brasil”.

 

Transmissões transparentes

Toda a mensageria de documentos fiscais eletrônicos da Nérus roda com base nas tecnologias da NDD, como NF-e, NFC-e, NFS-e e CT-e, dentre outras. Tudo é transmitido, portanto, de forma transparente para o cliente Nérus. Assim, ao final da implantação, é garantida que a solução está totalmente funcional. Posteriormente, os usuários chave são treinados para gerenciar o serviço, com o aporte necessário para que a solução se mantenha.

 

Números surpreendem

A Nérus e NDD estimulam o cenário no Brasil. A robustez das soluções da NDD exemplifica a importância da Nérus no mercado nacional. Hoje, por exemplo, é transmitida uma média estimada em mais de um milhão de documentos fiscais por mês através da tecnologia da empresa. Com todos os clientes da NDD, o número ultrapassa surpreendentes 900 milhões de emissões/ano. “Se não houvesse confiabilidade, afinal, não teríamos chegado onde chegamos”, evidencia Cleber. Além da parte de documentos eletrônicos, a empresa utiliza também a Universidade Corporativa, chamada Kubo LMS, da NDD.

 

Com uma década de parceria, o CEO da Nérus avalia como principais pontos a qualidade das soluções e do atendimento, pois, segundo ele, são soluções sempre completas, robustas e com disposição a evoluir ainda mais. “Concentramos todas as questões relativas a documentos eletrônicos em um só lugar. Como a evolução é constante, ter um parceiro especializado é ter a certeza que teremos sempre um software atualizado”.

 

Perspectivas e futuro das empresas

A Nérus foi investida pelo Fundo Criatec2 e busca, desde então, um crescimento por meio inorgânico de aquisições para seu portfólio. Para este futuro, sobretudo, a união com a NDD é mantida. “As perspectivas são as melhores possíveis. Temos, por certo, um longo caminho para ampliar e melhorar a parceria”, diz Cleber.

 

Continuar crescendo e expandir internacionalmente, iniciando projetos de Documentos Eletrônicos no exterior, é a meta das empresas, segundo Alovisio. “Com certeza a NDD e a Nérus irão sair na frente nestes projetos. Já estamos crescendo muito e definimos expandir mais produtos em conjunto. Assim, vamos solidificar ainda mais nossa presença de mercado”, completa.

 

Parceiro NDD: https://www.ndd.com.br/blog/

A grande concorrência dentro do varejo criou a necessidade nas empresas de aumentar a produtividade das lojas ao máximo, mesmo dentro de um orçamento limitado. Ou seja, sem gastar muito.

Muitas vezes, parece que é impossível atender essa demanda sem contratar mais funcionários ou sem delegar horas extras desconfortáveis para sua equipe.

Nesse cenário, existem bons motivos para usar um ERP. Afinal, trata-se é uma ótima medida para eliminar trabalhos desnecessários e aumentar a produtividade da sua empresa, com um valor acessível.

Seus funcionários estão sobrecarregados e sem tempo para nada? Então, confira quais são os benefícios de um ERP - um sistema integrado de gestão empresarial - para a produtividade da sua empresa.

(mais…)

© 2021 Nérus. Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Apiki.