MySQL Oracle: o que vem por aí?

MySQL Oracle: o que vem por aí? 150 150 Cléber Piçarro
Saiba quais serão os novos horizontes da Oracle junto com a MySQL

Para quem acompanhou o grande evento da O’Reilly, o MySQL User Conference, realizado todos os anos na Califórnia, EUA, pôde perceber que as estratégias da Oracle em relação ao servidor de bancos de dados mais utilizado do mundo são as melhores possíveis. Este ano eles conseguiram superar as minhas expectativas pessoais.

Primeiramente, ao chegar na área de exhibitors ou expositores do evento, se viu algo muito diferente. Uma arrumação um pouco diferente daquilo que se viu nos outros anos. Todos muito curiosos mesmo com o que falaria Edward Screven, o profissional da Oracle que foi designado para tocar o projeto do MySQL, que discursou muitíssimo bem e falou das estratégias da Oracle relacionadas com o MySQL, da importância em se investir no SGBD e do por quê a Oracle levará à frente os novos projetos em torno do seu ecosistema.

Assistindo ao vídeo (clique aqui), podemos notar que o MySQL é importante para a Oracle para garantir que ela seja realmente completa em relação à software, que combinado com o hardware pesado que ela colocará no mercado, possibilitará que seus clientes, usuários de Java, MySQL, Solaris, Oracle Database e outros produtos possam adquirir estruturas completas, estrategicamente dotadas dos melhores recursos para os seus respectivos negócios.

Com relação ao MySQL, muitos novos recursos estão por vir na versão 5.5, que está 200% mais rápida e trará muito mais possibilidades de controles relacionados com o Storage Engine InnoDB, que agora passa a ser a motor de armazenamento padrão do MySQL. Ele, que é de propriedade da Oracle e produzido por eles, traz também o recurso de replicação semi-síncrona ou Semi-Synchronous Replication, que garante que pelo menos um dos servidores SLAVES receba os dados transacionados no servidor MASTER, evitando o conhecido delay entre os servidores de bancos de dados dentro de uma topologia de replicação (scale-out), melhoraentos relacionados com os procedimentos armazenados com o SIGNAL e RESIGNAL, possibilitando ao DBA levantar erros com mais precisão em meio à lógica dos programas e uma novidade bastante interessante, o “Replication Heartbeat”, que lembra o recurso do Linux para soluções de cluster, mas é somente um mecanismo de checagem de resposta em relação aos servidores SLAVES, dando ao DBA a exata noção de quanto tempo um SLAVE está em atraso em relação ao MASTER. 

Documentação online: https://dev.mysql.com/doc/refman/5.5/en/

Enfim, são muitas as melhorias! Saliento que foi ótimo aguardar o tempo solicitado pela Oracle para que ela fizesse o seu melhor, já que é uma empresa muito respeitável do ramo da tecnologia, tendo uma expertise incomparável no mercado de bancos de dados. Agora, unindo forças, o MySQL tem tudo para despontar e se firmar com o servidor de bancos de dados mais utilizado do mundo.

Compartilhe