Serviços financeiros no varejo

Serviços financeiros no varejo: a maximização do lucro ou sobrevida para o varejo?

Serviços financeiros no varejo: a maximização do lucro ou sobrevida para o varejo? 700 467 Cléber Piçarro

Serviços financeiros no varejo

Normalmente, no final do ano, temos o início das publicações dos balanços patrimoniais das grandes empresas brasileiras.

E, como de costume, procuro acompanhar os indicadores das grandes empresas varejistas. A esmagadora maioria delas só atinge a lucratividade quando somamos as receitas de juros recebidos, e ou, os serviços financeiros no varejo vendidos aos seus clientes.

Portanto, a sua operação tida como principal, a revenda de produtos aos consumidores, foi levemente superavitária ou mesmo deficitária.

Neste post, você vai entender a importância dos serviços financeiros no varejo.

Contexto dos produtos financeiros no varejo

Com a nova regulamentação do mercado, os varejistas passaram a abrir seus próprios bancos e financeiras. Até mesmo cartões de crédito atrelados a programas de fidelidade com “milhagens” foram criados.

Mas essas são apenas algumas das muitas opções de como se beneficiar de produtos financeiros no varejo.

Outros varejistas preferem fazer parcerias com os bancos já instalados e mesmo startups fintech, especializadas em usar a tecnologia para criar novos produtos e serviços financeiros no varejo ou em qualquer outras áreas de negócios.

E os resultados têm sido excelentes para todos os envolvidos.

Veja também em nosso blog: O que é crediário e como usar essa ferramenta no lugar do cartão de crédito

Desafios do uso de produtos financeiros no varejo

O que mais me espanta não é a oferta de serviços financeiros no varejo, mas sim, o uso desse artificie para melhorar ou mesmo obter rentabilidade no negócio. Isto é, melhorar a situação financeira da empresa.

Se temos um negócio que não oferece rentabilidade suficiente, alguma coisa está muito errada. E criar alternativas que mascarem a realidade não é a melhor solução.

Como reverter essa situação?

O foco central destas empresas deveria ser melhorar a rentabilidade do negócio. E isto só é possível quando oferecemos mais valor aos nossos clientes do que nossos concorrentes.

Quando os consumidores enxergam a mesmice nos negócios, a única alternativa que resta aos fornecedores é brigar pelo preço. E ganhar dinheiro brigando por preço é muito difícil, para não dizer impossível.

Inspire-se nos grandes varejistas!

Estudando os grandes cases de sucesso global no varejo, é fácil identificar aqueles que geram maior valor para os seus clientes. E são justamente estas empresas que conseguem auferir as maiores rentabilidades.

Casos de sucesso no varejo internacional tais como:

  • Apple Store;
  • Uniqlo;
  • Zara;
  • The Container Store.

Dentre tantas outras que podemos citar, não precisam de outras receitas para obter lucro. Para isso, basta sua operação principal.

Eles se permitem até a oferecer este tipo de serviço mas como um diferencial, e não simplesmente como uma tábua de salvação para rentabilizar o negócio.

Por que oferecer serviços financeiros no varejo, afinal?

As razões de se oferecer serviços financeiros no varejo têm sido explicadas por diversos analistas como uma forma do varejo usar o espaço e o tempo disponíveis dos funcionários para outras atividades que possam ser agregadas. E, assim, aumentando a receita das empresas sem gerar impacto nos custos fixos.

O racional parece fazer sentido. Dessa forma, o grande varejo entrou de cabeça nesta nova onda. Assim, hoje, compramos apólice de vida, de carro, da casa e até abrimos conta em banco nas grandes lojas de varejo.

Mas é bom lembrar a todos que se não resolvermos nosso problema central de rentabilidade no negócio, dificilmente atravessaremos o período de turbulência que se aproxima sem baixas ou arranhões.

Fazendo uma analogia com o movimentos das marés, é na vazante que percebemos quem estava nadando sem calção.

Para finalizar, gostaria de lembrar a todos que a boa gestão no varejo inclui:

A escolha correta do mix de produtos;

O foco central no público-alvo;

Um controle de estoque rígido,

Uma gestão de precificação de produtos caso a caso;

Um bom programa de controle e redução de despesas.

Portanto, somente controlando as inúmeras variáveis do dia a dia do varejo, e sintonizando estes ajustes com as realidades mutantes do mercado, é que conseguiremos alcançar o sucesso em atender as expectativas dos clientes. E por tabela, auferir enormes lucros. Retail is detail.

Boa venda a todos!

 

O Nérus é um ERP de varejo completo, fácil de usar e com excelente custo benefício. Ele ajuda na gestão de seu negócio em várias áreas, inclusive a financeira.

Veja mais: Nérus e-com acelera ingresso das redes nas vendas online

Compartilhe