pocket retail

Varejo de bolso ou pocket retail, você conhece esse modelo de negócio?

Varejo de bolso ou pocket retail, você conhece esse modelo de negócio? 722 320 Marcos Nannetti

pocket retail

Como fazer para chamar a atenção do consumidor a tal ponto que ele se sinta seduzido a entrar na loja?

Como desvendar os hábitos de consumo e preferências do cliente?

Quais estratégias podemos utilizar para ganhar o consumidor no momentos mais adequado para a compra?

Como fazer a oferta certeira para ter sucesso nas vendas?

Essas e outras perguntas são respondidas pelo que hoje chamamos de pocket retail ou varejo de bolso.

Confira também: Agendamento de entrega: veja como melhorar o processo de entrega de produtos aos seus clientes

Como usar o pocket retail (ou varejo de bolso) em seu negócio

O que é pocket retail, afinal?

O conceito de pocket retail faz referência a um conjunto de processos e tecnologias que buscam mapear as demandas e os hábitos de consumo dos clientes, por meio de recursos como a geolocalização.

Mas como funcional esse tal varejo de bolso? É isso que você vai entender agora!

Funcionamento do pocket retail

Sistemas monitoram de forma constante a localização do consumidor dentro da loja ou nas proximidades dela para que o varejista possa identificar o que interessa ao cliente. Assim é possível fazer ofertas – via celular – muito mais precisas e que vão ao encontro à real demanda do comprador.

É quase como adivinhar o que o cliente quer comprar. Esse formato é estratégico para diminuir o incômodo com propagandas de produtos que não fazem parte do contingente de interesses do cliente. Eficiente para quem vende, prático para quem compra.

Dados de pesquisa comprovam a eficácia do varejo de bolso

Uma pesquisa divulgada pela Millward Brown – um dos maiores institutos de pesquisa sobre marcas, comunicação e mídia do mundo – mostrou que 40% dos consumidores permitiriam fornecer a localização em troca de informações de produtos e serviços.

Antigamente, as marcas tinham que recorrer aos jornais para se disseminar. Depois, foram o rádio e a TV. A bola da vez é, certamente, o celular, em função do desenvolvimento das tecnologias mobile.

Pela praticidade que o sistema representa para o varejista e para o consumidor, a expectativa não poderia ser outra se não de crescimento. Dados da consultoria européia Berg Insight apontam que as plataformas que utilizam geolocalização devem corresponder a 28% de toda a receita de publicidade móvel.

Não por acaso, as empresas têm demandado iniciativas que supram a procura por tecnologias inteligentes e otimizem o contato direto com o consumidor por meio do celular.

Este post também pode interessar você: O novo consumidor e seu impacto na transformação digital do varejo

Nérus SR: plataforma de varejo que engorda seu bolso

Um dos exemplos mais completos é o Nérus SR, desenvolvido pela Nérus em parceria com a Handcom. O aplicativo para Android e iOS permite que o lojista identifique a posição física do cliente via georeferenciamento ou micro localização. Assim, é possível convidá-lo a entrar na loja.

Já dentro da loja, o Nérus SR é capaz de identificar hábitos de consumo do comprador e convidá-lo a experimentar uma entre várias campanhas nas quais ele pode se encaixar. Tudo isso funciona de forma integrada ao Nérus.

Apesar de todas as facilidade, aplicativos como o Nérus SR não podem ser entendidos como um mero disseminador de publicidades certeiras.

É importante quando a tecnologia reflete a cultura do varejista em desenvolver políticas de relacionamento com o cliente, de conformidade com o que é interessante para o consumidor.

A tecnologia, aliada à sensibilidade e preparação do varejista, é uma plataforma de impulso para o sucesso do negócio. Portanto, não deixe de ficar atento às novas tecnologias.


Leia também: Vale a pena investir em um e-commerce? Descubra!

Compartilhe